domingo, 13 de Abril de 2014

Amuos de gente grande


Hoje dou a mão à palmatória, falando de um mal que (às vezes) também sofro (assumo) e nem sempre com razão.
 
Claro que (e como qualquer ser humano) é sempre mais fácil apontar o dedo a terceiros, do que falar de mim próprio, então, numa perspetiva menos pessoal, vou falar e apontar certos e determinados aspetos que tenho como menos bons.
 
O amuo é uma característica comum nas crianças, quando contrariadas, zangadas ou mesmo porque sim.
 
E se quando crescemos (é suposto deixarmos de) enganem-se!!
 
Amuamos do mesmo jeito, pelos mesmos motivos, só não ficamos com uma cara tão querida (risos).
 
Tudo (na idade adulta) toma proporções 'mais sérias', deixamos de nos esquecer em minutos e podemos estar nesta fase durante dias, meses, até anos ...
 
As pessoas amuam porque um amigo adota um comportamento diferente, porque tem uma opinião distinta, ou mesmo porque tem opinião própria.
 
Poucos são aqueles que sabem respeitar que os outros também têm dias maus e que nem sempre acham graça a uma piada.
 
E se acordaste de bem com a vida, não podes esperar que do outro lado, se partilhe da mesma euforia.
 
Faz parte ...
 
A verdade é que o amuo (nos adultos) é completamente desajustado e inapropriado.
 
Espera-se que saibam resolver as coisas na hora, que saibam ouvir um não, que saibam ouvir uma opinião contrária, tudo isto e tanto mais que isto, sem estrebuchar.
 
Algumas pessoas preferem acreditar que o mundo (da forma como o vêm) tem que ser igual a todos os outros e se não é, eles é que estão mal.
 
Um certo egocentrismo camuflado, num sorriso amarelado, confiantes de que são melhores pessoas por fazerem de conta que está tudo bem.
 
E se a vida são dois dias, já pensaram nos momentos bons que podem (e estão) a perder, por causa de um amuo perdido de jardim escola?
 
Sim, era nessa altura que deviam amuar ...
 
Agora, comportem-se como adultos que são, valorizem aquilo que deve ser valorizado e se têm que amuar, que seja por uma aumento salarial (risos).
 
Pensem nisso.

FranciscoVilhena
 

Imagem retirada do motor de pesquisa Google

sexta-feira, 11 de Abril de 2014

As Gardénias chegam à The Body Shop


Lançada em Março, a linha de edição limitada The Body Shop English Dawn White Gardénia trouxe, literalmente, a Primavera para o corpo.

Com um cheiro fabuloso, somos levados para os jardins campestres de Inglaterra.

Rodeados de gardénias brancas (acabadas de florescer) foi como me senti, quando testei o creme de corpo ... que complementei com o perfume.


Uma fragrância fresca, que promove uma inigualável sensação de relaxamento e calma, acreditem.

A Gama completa engloba 4 produtos:

Eau de Toilette
Body Lotion
Shower Gel
Body Mist

Com apontamentos de bergamota, gardénia, sândalo e tuberosa, os complementos ideais, para uma sintonia com a estação.

Na minha opinião, talvez sejam mais indicados para uma pele feminina, de todas as formas, não deixei de experimentar as novidades e estou maravilhado.

Saem do mercado dentro de dois meses.

Aproveitem!!



quarta-feira, 9 de Abril de 2014

Os meus Vizinhos de cima ...


Estive afastado por uns tempos e se não há duas sem três, que esta seja de vez.

Ontem à noite aconteceu-me um episódio em tudo caricato, que acho que não podia deixar passar em branco ...

Sabem aquele apartamento vazio, que achamos que vai permanecer assim durante o tempo suficiente para que possamos ter eterna tranquilidade?

Pois é ... Ocupou.

Mudaram-se há menos de nada e com a mesma velocidade que se familiarizavam no novo endereço, os problemas começaram.

Portas que batiam, roupa que voava, cães que ladravam, televisões que insonorizavam todas as divisões da casa ...

A minha primeira abordagem foi bater à porta.

Ele abriu, estava de t-shirt de cavas, tinha um físico que pensei para mim mesmo 'se falo mais alto, já nem daqui saio' (risos).

Com um discurso cuidado, lá tentei recuperar o silêncio no meu apartamento.

Durou pouco tempo, já que dias depois, estávamos de volta aos mil e um ruídos.

Soube que era instrutor de jiu jitsu logo, repetir o bater da porta, estava fora de questão.

Optei pela solução camuflada de deixar um bilhete, onde (apesar de não me ter identificado) escrevi o número da minha porta.

Nada alterou (pelo contrário).

As noites mal dormidas somavam-se ...

24:45 e chamei a Polícia ... 'É desta, é desta que vou ter sossego'... (ou não).

Ao que apurei, eles eram amigos, ou um era aluno do outro.

Não sei se era detalhadamente isto, o que é certo é que, mais uma vez, não deu em nada.

Mais uma viagem, mais uma volta!

Estava com poucos trunfos na manga, optei por telefonar à senhoria do dito apartamento, para que ela resolvesse aquilo que lhe competia.

A sugestão imediata (dita de forma educada) foi que eu comprasse uns tampões e tomasse algo para dormir (o procedimento que ela fazia também).

Era oficial, dali não levava nada a não ser horas de conversa (a D.Aurea fala imenso).

Colocar o meu apartamento à venda ainda me passou pela cabeça (já na fase do continuado desespero) mas gosto demasiado dele!!

Sr. Ribeiro (o guarda noturno) o meu último S.O.S

Efeito imediato!!!!

Ontem, estava eu a dormir (ou a fazer de conta que dormia) quando me tocam à campainha.

Era uma rapariga de ar simpático e claro, fiz o que não se faz, abri a porta mesmo sem saber quem era.

Logo mesmo ao lado, estava o namorado, o tal professor de jiu jitsu.

Acreditei piamente (por instantes) que íamos ter ali uma zaragata física qualquer ...

O tom de voz foi subindo, trocamos mil galhardetes e eu, que tenho um feitio tao complicado, muni-me de alguma (muita) arrogância, que não ajudou nada a acalmar os ânimos.

Um dos meus gatos aproveitou para correr porta fora, eu estava descalço, prontamente eles mesmos me deram o gato nas mãos.

Foi nessa altura, no momento do meu ponto fraco (o gato Tomás) que rapidamente esfriei a minha postura.

Decidi evitar o possível falatório, que se geraria no patamar do meu piso, confiei na minha sorte e convidei-os a entrar ...

Não tardou muito, para percebermos que afinal até temos coisas em comum, rimos, fechamos tréguas e (pasmem) até ficamos de combinar um jantar.

Vou fazer por me habituar a esta nova realidade, menos silenciosa, mas sem dúvida, em tão bom companhia.

Afinal de contas ... eu até gosto (bastante) dos meus novos vizinhos de cima!


sábado, 22 de Março de 2014

Uma pessoa Especial ...


Hoje abro o meu coração para vos falar de uma pessoa muito, muito especial ... 

Maria Florinda Vilhena, tem agora 85 anos, levou uma vida tranquila ... 

Desde sempre apelidada como a 'Florinda dos 20', uma aluna exemplar, que acabou os seus estudos como professora. 

Reconhecida, foi devidamente homenageada pela Câmara, pelo seu mérito e dedicação, na altura em que se ensinava e aprendia com carinho ... 

Uma mãe dedicada (teve 3 lindas filhas) e ditou a partida do destino que cada filha tivesse 2 rapazes. 

Enviuvou cedo demais, numa altura em que o homem desempenhava o papel autoritário da família, mas arregaçou as mangas e geriu o clã Vilhena com os princípios certos.  

Não gostava muito de cozinhar, mas quando o fazia, dali saí o melhor arroz do Mundo (que até hoje, ainda não provei nenhum igual). 

Adorava a empregada Augusta, que aqui entre nós, acabava por ser mais uma amiga, passavam a maior parte do tempo a conversar ...

Gulosa (muito gulosa) tinha os doces como aliados em todas as horas ... 

Perdia-se nas palavras cruzadas, adorava viajar e ter a família reunida à mesa Todos os sábados, sem exceção! 

Nunca a vi discutir, nunca a vi dar um sermão que fosse, tudo o que fazia ... Fazia com carinho. 

Uma paciência inigualável, deixava-nos montar os playmobil pelo chão da casa (cada divisão, uma cidade), montar camas em colchões e dormir como se estivéssemos em cabanas .... Seis rapazes aventureiros, com a cúmplice perfeita. 

As nossas sobremesas, eram mais um desafio superado e para cada um de nós, existiu sempre o doce predileto ... 

Seis rapazes, seis doces diferentes ... 

Recordo-me (com alegria) das nossas segundas quinzenas de Agosto ...

Mulher de hábitos, fazia questão de tomar o pequeno almoço no centro de caminha e quando chegava, ficava a ver-nos aos saltos na piscina, sempre preocupada que nos magoássemos ou afogássemos ... 

Tinha sempre uma história para contar e uma memória que não falhava ... 

(...)

Anos depois, o inesperado Alzheimer tentou apagar tudo isso, mas foi fintado e sabem porquê? 

Porque ela pode até já não se lembrar ... Mas lembramos nós. 

Esta pessoa especial, não é uma pessoa qualquer ... 

É a minha Avó, a quem agradeço por tudo e afirmo: tenho tanto orgulho em ti. 

A poucos dias de completar 86 Primaveras (26 de Março) decidiu que estava na altura de seguir uma nova etapa ... 

Aguardamos agora, com inexplicável angústia, o desfecho deste capítulo, com a certeza de que o melhor de ti ... Não se explica, nem se apaga com o tempo ... Permanece em nós.

Obrigado por tudo, Avó.



Primeira imagem retirada do motor de pesquisa Google
Fotografia da minha Avó, Maria Florinda Vilhena

quinta-feira, 13 de Março de 2014

Eu ... E a minha Barriga


Podia muito bem ser um anúncio de iogurtes com bífidos activos, mas não.

O mérito da escolha deste título deve-se, unicamente, aos cuidados que passei a ter com a minha barriga.

A alimentação equilibrada, já há muito, que faz parte da rotina cá de casa.

A isto, acrescentei a prática de exercício físico (no último ano acompanhado pelo Personal Trainer Tiago Soromenho) durante (pelo menos) 3x por semana.

Mas guloso assumido, a luta contra os doces, escondia uma relação obscura.

Se por um lado comia aquilo que se espera que coma, quando estou a ter uma dieta regrada, por outro, (quando ninguém via) lá me casava com uma boa porção de açúcar.

Seja porque o Verão está mais próximo, ou mesmo por uma questão de uma melhoria na relação com o tamanho abaixo da camisa, o mote de tonificação está encontrado.

Como recente embaixador das Clínicas Persona, entre as opções de tratamentos, tornei-me cúmplice da TRIM II.

Um sistema único, que além de eliminar eficazmente o excesso de gordura e celulite compacta, modela o corpo tonificando as áreas tratadas, protegendo suavemente a pele, graças aos filtros de água Hydrosun.

Com intensidades distintas (que vão do nada ao 80), lá vou suportando os impulsos, sempre com o desafio de me superar a cada sessão.


Estou fidelizado em duas visitas semanais, e já começo a tratar por tu os elétrodos.

Não estou como quero ... mas já estive mais longe.

Não se trata de nenhum exibicionismo, mas sinto-me na 'obrigação' de partilhar convosco que com a determinação certa e o acompanhamento adequado ... chegamos lá.


Aceita o meu desafio, usufrui gratuitamente de uma consulta e primeiro tratamento (à tua escolha) e vivencia por ti a experiência de seres tratado como mereces.




segunda-feira, 24 de Fevereiro de 2014

Amor com Garantia


Atualmente, é tão cliché falar de amor como de outro assunto qualquer.

Na verdade, são até poucos os temas que escapam às centenas de opiniões distintas e eu, claro, hoje muni-me da mesma liberdade para expressar aquilo que considero ser importante.

Apesar de ser delicado, todos já amámos alguém, amamos e viremos a amar ... e ainda bem.

Desamores acontecem, mas desde sempre me disseram que é loucura odiar todas as rosas porque uma te espetou ...

Ainda assim, hoje assumo perante todos vocês, que Amar é o meu maior medo.

Vivo as emoções de forma intensa, entrego-me a 200 por cento e espero sempre que a reciprocidade seja na mesmíssima medida ... Não é!

Numa relação a dois, vai existir sempre um lado que ama mais que o outro, um que cede mais que o outro, um que dedica mais que o outro, mas o mais importante que tudo isto, é que gostam o suficiente para estarem juntos, assim, lado a lado.

Que bonito ...

E agora meter isto na cabeça?

Devíamos vir equipados com uma entrada USB, ou então termos uma App Store para nos atualizarmos de acordo com a personalidade de cada um (risos).

Se bem que as versões melhoradas, acabam por se adaptar e mudam consoante a disponibilidade e a intensidade de amar.

Como nada disto (realmente) acontece, a solução passa por nos apaixonarmos com alguém com garantia.

Garantia que aquilo que sentem é realmente verdade, garantia que ficam por muito tempo, garantia que vão cuidar de nós como nós vamos cuidar também.

E como todas as garantias, se falham, exigimos a substituição!

Não por outra pessoa ... mas pela mesma de acordo com as convicções e necessidades daquilo que representa o Amor.

FranciscoVilhena


quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2014

Dora ... e a notícia da Batata Frita


A imprensa não segue uma linha de tendências, de forma a que as notícias, nem sempre estejam de acordo com as estações emotivas de cada um.

Hoje o assunto do dia prende-se com a cantora Dora.

Singrou no Festival da Canção de 1986 com a interpretação do tema Não Sejas Mau Para Mim e depressa se descobriu o seu potencial.

Depois de representar Portugal em Bergen, na Noruega, onde ficou classificada em 14º lugar, lança os temas Easy/Seventeen e Our Love, e em Julho de 1987 lança o single Já Dei.

Na verdade não ficou por aqui, mas creio ser já mais que suficiente, para recordar algumas cabeças ocas, o orgulho que promoveu entre os Portugueses.

Infelizmente (e como acontece com quase todos os artistas nacionais) viver daquilo que mais se gosta (e se tem vocação) , nem sempre é possível.

Foi o caso.

Dora (que regressou aos holofotes em 2012) depois de muito tempo ausente, como concorrente do programa «A Tua Cara Não Me É Estranha», foi descoberta pelo jornal Correio da Manhã a trabalhar num restaurante McDonald`s, em Lisboa.


Com 47 anos, aceitou um trabalho (DIGNO) por não receber convites na área musical.

Para mim, vergonha não é trabalhar, mas sim viver do faz de conta, com o síndrome do Peter Pan.

É habitual vermos esta ou aquela pessoa mais conhecida vangloriar-se pelos vestidos (emprestados) pelo carro (cedido) ou o telemóvel (oferecido).

Dora arregaçou as mangas, mostrou ser uma lutadora e desculpem-me (acabei de me levantar da cadeira) para a aplaudir uma vez mais e dizer: tenho orgulho em ti!

Entendo que nenhuma profissão é mais importante que outra.

Hoje, por exemplo ...

Chegar a casa, depois de um dia extremamente exaustivo (entre o treino às 7:30 da manhã e o trabalho) ter tudo tão arrumado e cheiroso, foi maravilhoso!!

A importância dos empregos varia consoante as necessidades.

Ninguém é mais importante que ninguém, seja no hospital ou na caixa do MacDonalds.

Para mim, a minha empregada é uma Estrela ... e a Dora é uma Estrela também.